Você é do tipo que faz exercício para emagrecer?

Você deposita suas esperanças nos exercícios físicos e se tortura com uma rotina pesada pensando que esta é a melhor forma de atingir seu objetivo de emagrecimento?

Todo mundo sabe que exercício físico é sinônimo de fitness e saúde. Antes de mais nada, vamos entrar em um acordo: Nós sabemos que exercícios físicos são necessários para uma boa saúde geral e uma vida saudável. Sobre isso, não tem discussão.

Saiba porque o foco exagerado em exercícios com o objetivo de emagrecer, não é uma boa ideia.

Estabelecer uma rotina dura de exercícios físicos como prioridade, é uma má ideia caso seu objetivo seja emagrecer DE VEZ. O nosso corpo é ótimo em gastar somente o necessário de calorias para executar qualquer esforço.

Devemos a nossa sobrevivência e evolução a isso! Se o corpo gastasse calorias demais em qualquer esforço físico, talvez não tivéssemos sobrevivido até hoje, já que em 99% da nossa história, comida não estava disponível a toda hora e em qualquer lugar, como hoje.

Não seria uma boa ideia evolutiva gastar bastante calorias nos exercícios físicos, porém, sim, gastar o mínimo necessário para executar a atividade de forma adequada. Conclusão disso é o seguinte: Se você conta com as calorias queimadas nos seus árduos exercícios como solução para seu problema com a balança, essa não é uma forma eficiente de se conquistar este objetivo.

Vamos a alguns exemplos para elucidar como a queima de calorias durante os exercícios não vale a pena o esforço.

Daremos o exemplo da Madalena, ela tem 70kg e 30 anos de idade. Se a Madalena decidir ir para academia para fazer esteira por uma hora inteira, sem parar, em ritmo acelerado de 6.4km/h, ela vai gastar um TOTAL estimado de 290 kcal.

Porém, não esqueça que você gasta calorias mesmo se não fizer exercício nenhum, ou seja, sua taxa metabólica basal (TMB). Isso significa que, se a Madalena, ao invés de ter ido na esteira, ficasse sentada assistindo TV por uma hora, ela ainda teria gastado aproximadamente 73 kcal.

Logo, uma aproximação do total de calorias reais gastas durante aqueles sofridos 60 minutos constantes na esteira foi de 290 kcal – 73 kcal, o que nos dá um total de 217kcal. Só para colocar em contraste, uma barrinha de chocolate Snickers (ou um Charge da vida), aquele que você come em 2 minutos, contém 270 kcal. Se optasse por uma alternativa extremamente saudável como um delicioso pedaço de 150g de salmão grelhado, daria aí 225 kcal.

Se a nossa motivada Madalena resolve intensificar ainda mais seu exercício e decide ir correr na rua por 60 minutos sem parar em ritmo moderado e constante, ela vai gastar aproximadamente um total de 500kcal. Subtraindo nossa taxa metabólica basal, temos 500 – 73 = 427 kcal.

Agora, Madalena está ultracansada, seus joelhos já pedem água pelo constante impacto, dentre outras coisas. Aí, vai que por ventura ela escolhe comer um pacote de Ruffles a qualquer hora… afinal, isso pode acontecer né?! Um pacote de 150g tem 750 kcal. Ela teria que, em teoria, correr quase 2 horas, sem parar e em ritmo constante para queimar esta quantidade de calorias. Logo, má ideia. Contar com as calorias gastas nos exercícios com o objetivo de emagrecer é, além de ineficiente, inapropriado para sua saúde e desvantajoso.

Como utilizar os exercícios de forma estratégica e positiva para emagrecer?

Como digo, emagrecimento é algo natural ao ser humano e deve ser visto como tal e não como uma jornada homérica e corajosa em direção ao sofrimento e autopunição.

O problema é que, desde que nascemos esse paradigma sofrido é martelado na nossa cabeça. Afinal, todo mundo parece dizer que esse é o caminho certo, não é verdade?! Pois é… infelizmente, o interesse das revistas, governo e indústrias passa bem longe de uma sincera e honesta ajuda na saúde pública.

Enfim, você quer fazer exercícios sim para emagrecer, porém, você quer fazê-los de forma prazerosa e estratégica. Veja os principais e reais motivos, pelos quais, você quer fazer exercícios físicos para emagrecer (e não apenas para queimar calorias ineficientemente).

Manter e desenvolver seus músculos através dos exercícios aumenta a sensibilidade dos mesmos à insulina. Os exercícios físicos reduzem estresse e diminuem a secreção do hormônio Cortisol (responsável por, entre outras coisas, queima de massa muscular).

Manter seus músculos ativos, pois, como você já sabe, eles são tecidos metabolicamente ativos, logo, irão fazer com que seu corpo queime mais calorias diariamente, colaborar para manter seus níveis de açúcar no sangue mais estáveis, controlando a insulina e favorecendo positivamente a queima natural de gordura corporal.

Veja que a queima de calorias que acontece durante os exercícios é somente um bônus para os benefícios reais que estes exercícios corretos trazem. Fazer exercícios corretamente é um investimento valioso para a conquista do seu objetivo de boa forma.

Seus músculos são os tecidos que você mais quer tomar conta enquanto busca uma saúde de ferro e uma boa forma de verdade. Pecar neste sentido também é um dos grandes motivos do por que 95% das dietas falham.

Obviamente, a rotina perfeita de exercícios é individual. Cada pessoa é um ser singular e que responde diferentemente à estímulos, como alimentação e exercícios. Entretanto, é possível mencionar algumas linhas gerais que tendem a se aplicar à enorme maioria das pessoas.

Como disse, emagrecimento é algo natural e exercícios também são naturais, caso, feitos da forma correta. Exercícios exagerados ou feitos nos tradicionais moldes aeróbicos são contra produtivos e danosos à saúde geral.

Uma semana adequada de exercícios deveria conter um pouco de treino de resistência, ou seja, levantamento de peso, um pouco de exercícios intervalados de alta intensidade e uma quantidade variável de exercícios naturais e de baixa intensidade (como caminhada até o ponto de ônibus, no parque, brincar com os filhos, passear de bicicleta, etc)

Se pensarmos um pouco friamente sobre o assunto, podemos ver que essa rotina sempre fez parte (e os estudos de civilizações antigas comprovam) do nosso dia-a-dia historicamente.

Seres humanos passavam os dias se movimentando normalmente, caminhando, descansando, dormindo, cochilando, de vez em quando, correndo que nem louco pra caçar algum animal ou para evitar de ser comido vivo por um leão e, esporadicamente, levantando peso para construir as cabanas, mover troncos de árvores, cavar buracos, etc, etc.

O que isso nos diz é que nossos corpos são naturalmente preparados para responder positivamente à uma variedade de exercícios que seja natural e não artificial e tola, conforme vendido na mídia.

A ciência prova que nossa carga genética de hoje é praticamente idêntica à carga genética que tínhamos 1 ou 2 milhões de anos atrás. Logo, essencialmente, somos sim seres das cavernas, vivendo na era da modernidade. Nossos genes, nosso DNA, são preparados para uma rotina natural e moderada de exercícios e hábitos alimentares naturais. Quando você entende isso e resolve botar em prática, as surpresas são muitas.

Essa é a reflexão que deixo para você hoje!

Referências:
Pesquisas de hábitos antigos dos seres humanos desenvolvidas por Loren Cordain, M.D.
The Paleo Answer, by M.D Loren Cordain.
The Primal Blueprint by Mark Sisson
Body by Science by M.D Doug McGuff, John Little